A instituição do casamento

Para os gênios que ainda não entenderam que casamento é uma coisa séria!!
O que não parece que as pessoas entenderam....Tem-se no geral muitos "motivos" para se casar..."Motivos" de pessoas dementes que vivem em suas realidades distorcidas, dinheiro, beleza, conveniencia, morar na mesma cidade, sei la...

Quaisquer que sejam eles, as pessoas parecem não entender que casar é fazer uma aliança de vida com alguem!!!!!
Alguns tem tatuagens mais significativas do que seus casamentos....Deve ter algo de errado com isso??? Claro, o casamento hoje, não tem mais nenhum significado e é uma instituição burguesa, ou não?
Se não, é ao menos muito dificil pessoas que levam o casamento a sério....O casamento é uma instituição falida talvez porque as pessoas não fazem mais nada para validá-lo. Casam por muitos motivos errados....A "instituição" é composta por pessoas (não sei pq mas as pessoas esquecem isso) e são essas pessoas que fazem os casamentos serem essa coisa que existe, um amontoado de pessoas desencontradas que não se respeitam e por consequencia não se amam.....

Isso é muito simples, não existe amor sem respeito, vc pode ter milhares de motivos (todos errados) para ficar com alguem mas, se nenhum deles incluir um amor que não vem junto com respeito, não funciona....
Amor é outra coisa.....
Esses seres humanos usam essa palavra por um significado que ela não aborda!!! Amor não é tesão momentaneo....Vamos por favor raciocinar.

Eu queria muito acreditar que as pessoas são capazes de refletir de alguma forma o amor de verdade. Casamento em sua aliança e promessa é a demonstração de como elas encaram essa aliança.
Fico feliz que existam pessoas (mesmo que poucas) que honrem essa aliança de Deus e com Deus.

2 comentários:

Arthur Tavares disse...

Amor é amor e sempre é igual, em todas as ocasiões. O amor que sente-se pelo cônjuge é o mesmo que temos pelos nossos pais, que é o mesmo que temos pelos nossos filhos e que podemos ter por animais, objetos, situações, etc...

Fica fácil saber o que é o amor ao saber seu oposto: a indiferença.

Porém, o amor nunca vêm sozinho; O amor precisa de outro(s) sentimento(s) para nascer.
E, depois que o amor nasce, ele nunca morre, mesmo se o(s) outro(s) sentimento(s) sumirem.

O que acontece - muito - é que confundimos qualquer coisa com amor. A palavra sai fácil da boca, e somos - todos - condicionados a buscar o amor inconsequentemente.

Então, tesão vira amor, amizade vira amor, raiva vira amor... e o que mais sair da cabeça de romancistas de encomenda.

Sexo c/ Amor? disse...

Eu estou sériamente inclinada a concluir que as pessoas estão com preguiça de pensar! beijo